terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Tarô universal

Passei um tempo em Búzios nestas férias e posso lhes garantir que lá é lindo, não só com sol, mas também com chuva... que foi o que a gente mais pegou. É, infelizmente, dos 10 dias que passamos por lá, só quatro foram com sol. O restante dos dias oscilava entre chuva, nublado a parcialmente nublado. Tudo bem... faz parte! Deu para aproveitar.
O que eu não contava era que a Armação dos Búzios estivesse tão portenha, quanto Buenos Aires. Hoje, aprende-se castelhano só de andar pela Rua das Pedras. Nas praias a sensação é a mesma. Argentinos e argentinas por todos os lados, tomando chimarrão, que eu pensei fosse mania só dos Sulistas brasileiros.
Os jornais cariocas e paulistas cederam lugar ao El Clarin, que é vendido em todos os lugares. Tudo bem, agora têm vôo direto de Buenos Aires para Cabo Frio, que justifica todo este enxame de argentinos. São alegres e festivos, mas chega uma hora que irrita o som castelhano por todos os lados. Não sei se é o castelhano ou o portunhol dos ambulantes, que tentam vender de tudo aos visitantes, o que mais incomoda. Na verdade, acho que são os dois juntos.
Achei muita graça de uma cartomante na praia, que oferecia a leitura de Tarô por 30 reais, em francês, espanhol, inglês e alemão! Ela passou por mim e não acreditei.
-Pô, uma pessoa poliglota assim, precisa barganhar trabalho na praia? Podia tá fazendo qualquer coisa melhor, não é não?
Achei que estava delirando e perguntei ao meu marido se ele tinha visto. Ele confirmou tudo. Não demorou muito e lá veio uma argentina "pedindo" para ser enganada.




Não perdi tempo e tratei de fotografar a cena! Não perderia por nada. Lá fui eu, com câmera na mão, fotografar a dita cuja. Tive que disfarçar... mirei na paisagem e clapt! Consegui registrar aquela coisa bizarra. A mulher com as cartas de Tarô colocadas na canga, conversando sobre o futuro da belezura. Ela não demorou muito e logo foi recolhendo as coisas. Não tive coragem de perguntar se a cliente havia ficado satisfeita. Mas o trabalho já estava feito.
Quer coisa mais buziana? Fiquei pensando... Taí um jeito de levar a vida!

8 comentários:

Andréa N. disse...

Vidão mesmo, né? Eu adoraria. Estudei um pouquinho de tarô quando era adolescente, mas não lembro quase nada. Sempre gostei dessas artes adivinhatórias... E tenho ótimas lembranças de Búzios. Estive lá há décadas e era um lugar mágico.

Isabella disse...

Também tenho boas e divertidas lembranças de Búzios!

Em Florianópolis, há muitos anos atrás, os argentinos eram conhecidos como "dame dos" porque tudo era barato pra eles que eles compravam em dobro.

Lá no sul muito do turismo vem da Argentina e acho que o turista deve ser bem tratado, pra voltar, pra tentar mudar a imagem violenta do Brasil. Mais turistas, mais dinheiro, mais investimentos, mais trabalho, enfim, acho que é bom pro Brasil : )

bjs

Eu penso que... disse...

É Isabella!
Vc tem toda razão. Nada de xenofobia!
Deve ser a mesma coisa que falam dos brasileiros e "latinos" aí nos EUA.

Eu não sei, você sabe? disse...

só fui uma vez a Búzios e fiquei mesmo encantada com a cidade...mas não cheguei a ver meu futuro por lá:)
um beijo!

Flavia Leite disse...

Menina, quando eu estive em Buzios foi a mesma coisa... eu entrava nas lojas e as vendedoras falavam espanhol e nao portugues! Fiquei chocada! Fazia muito tempo que nao ia a Buzios e nao sabia que estava assim! Beijos e tenta deixar a preguiça e o baixo astral de lado viu! Ufa, no momento estou na mesma onda, uma dificuldade de me mover e tanta coisa pra resolver.
Beijocas

Isabella disse...

Com certeza falam, Andrea! Seja aqui, uma cidade super internacional, como em cidades pequenas.

bjs : )

Isabella disse...

Com certeza falam, Andrea! Seja aqui, uma cidade super internacional, como em cidades pequenas.

bjs : )

Bebete Indarte disse...

AH! Quer dizer que somente agora os "boludos" invadiram a praia de vocês?
No RGdo Sul e Santa Catarina, eles chegaram primeiro de férias, compraram todas as TV's, stereos das lojas, era uma classe "motorista de taxi". Depois chegaram as outras, compraram terrenos, construíram pousadas, hotéis, e convivem pacificamente com os "Locos"/nativos.
E o chimarrão é sorvido na região sul, no Uruguay e Argentina (gaúchos). A princesa da Holanda, é argentina...
Nossas culturas (do sul) se parecem muito, jo hablo un poco castelhano e portunhol é claro.
Bjs