segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

O brilho de uma mente de boas lembranças

Não sei se sofro de um problema, se é uma virtude, ou simplesmente um vício de comportamento. As coisas ruins que acontecem na minha vida, costumo deletar imediatamente. É automático! Até gostaria de guardar por mais tempo, para aprender com os erros que cometo. Mas minha natureza é assim, e não adianta ir contra.
Todas as vezes em que tentei guardar na memória algum acontecimento ruim, tenho que me esforçar para recuperá-lo. Fica uma imagem distorcida da realidade. São flashs sem conexão, sem sequência. Não tenho memória temporal dos acontecimentos. Isso é péssimo em certos momentos. Por exemplo: não consigo reproduzir conversas que aconteceram há dias atrás, semanas, e muito menos anos. Só se eu escrever.
Ao contrário do meu marido, que é uma verdadeira máquina e guarda datas e fatos nos mínimos detalhes, eu sou uma catástrofe. Minha memória boa é a visual e olfativa. Só! Não me venha perguntar datas, dias, fatos... nunca me lembro! E se foi uma lembrança ruim é melhor não insistir. Não guardo mesmo.
Têm horas que sinto não poder guardar tão bem as coisas como gostaria, mas no final, não faz tanta diferença. Provavelmente, se eu for pensar no ano de 2007, e como ele foi, vou só lembrar das coisas boas e felizes. As lágrimas, decepções, tristezas... é claro que existiram, mas serão lembradas como nuvens passageiras. Que nunca mais irão se transformar em tempestades.

Que venha 2008 !

7 comentários:

Sonho Meu disse...

Amiguinha querida,
Lembranças ruins é melhor serem deletadas, espurgadas e descarregadas das nossas cabecinhas. Voce que tá certa...só as coisas boas, carregamos juntos conosco.
Feliz Ano Novo !
Bjao,
me

Sonho Meu disse...

Eu de novo...adoro essa bonequinha caindo nas bolas, aí do lado. Sou capaz de ficar horas olhando.
Bjos,
me

Isabella disse...

FELIZ ANO NOVO!

bjs

May disse...

Feliz Ano Novo, moça cheia de idéias e privilegiada por só conseguir deter o que de fatp é relevante: OS MOMENTOS FELIZES!

Que 2008 seja pleno deles, então.
Beijos,

Maiara.



PS: Posso te linkar para ficar mais fácil de eu vir aqui te ler?

Annix disse...

Epa, sou assim também. Mas basicamente porque acho que não vale a pena gastar espaço com coisas ruins. :)
Beijo!

La Batalema Pitonisto disse...

Cara amiga,

Sofro de um mal oposto… tenho o péssimo hábito de armazenar lembranças ruins. Elas simplesmente povoam minha mente.

Não que não haja boas, mas por algum motivo guardo mais facilmente as ruins.

Deve ser algum tipo de mecanismo de defesa, ou algo assim, para não me permitir cair em armadilhas conhecidas.

Mas realmente invejo sua capacidade de apagar as lembranças ruins, por dois motivos…

1º porque é um inferno arrastar essas lembranças pesadas por aí.

2º porque é esquecendo que abrimos espaço para novas lembranças e experiências. =)

Assim sendo, carregue as boas lembranças de 2007 e deixe pra trás as ruins! Que você tenha um feliz 2008 repleto de experiências que valham a pena serem lembradas.

[]'s
Cacilhas, La Batalema

Cris A. disse...

Essa poderia ser uma das minhas resoluções; sou mais ou menos o contrário :P
Fico reformulando frases que poderia ter dito, remoendo coisas que fiz errado, que não deram certo. Tenho seriamente que parar com isso. o.O