sexta-feira, 9 de novembro de 2007

As marcas de um passado

Vivemos num mundo cada vez mais globalizado, mas ainda hoje encontramos diferenças e desigualdades tão gritantes que é difícil imaginar que todo mundo vive no mesmo planeta e em pleno século XXI.
Nos dias de hoje, enquanto alguns amam se tatuar por prazer, e cobrem o corpo com as mais diferentes imagens, há bem pouco tempo, crianças chinesas sofriam e temiam passar por um ritual de marcar a pele para não serem tiradas de seus pais.
Esta mulher (foto) é uma chinesa de um grupo de etnia minoritária de Myanmar, uma localidade que faz fronteira com a India e Tailândia. As marcas em seu rosto são de quando ela ainda era uma garotinha. As pessoas do grupo tatuavam o rosto das meninas para protegê-las, principalmente de possíveis ataques de lugarejos vizinhos, que as sequestravam para transformá-las em concubinas. Segundo a tradição esta era uma forma segura de proteger as meninas da aldeia.
A senhora da foto foi uma das últimas a receber esta tatuagem, um costume de 200 anos que só agora acabou. Finalmente, né!

2 comentários:

Andréa N. disse...

Afe, finalmente acabou. Mas achei essa mulher linda. Muito linda.

Sonho Meu disse...

Pra uma senhora com o rosto marcado igual o dela...acho que as marcas ficaram bem.
Concordo com Andrea ele é linda assim mesmo. Tem uma serenidade no rosto que dar inveja.
bjos,
me