quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Rotina alterada

Adoro sentir que o verão está chegando. Pelo menos com o horário de verão já em vigor (desde domingo) anoitece mais tarde e a gente fica com a sensação de que aproveita melhor o dia.
Acho que é só sensação mesmo. O dia acaba passando tão rápido que a gente não dá conta do que tem para fazer. Acabo esticando a noite e vou dormir tarde, bem tarde, fazendo as coisas que não deram tempo de terminar.
Não sei se a idade está pesando, mas ultimamente não consigo acordar cedo. Meu filho já perdeu a Cultura Inglesa duas vezes porque não acordamos a tempo.
Hoje só consegui levantar da cama mais cedo porque o telefone não parava de tocar... Corri para atender, mas desligaram. É sempre assim. Toca zilhões de vezes, você espera achando que alguém vai atender. Ou então você desiste de atender porque já tocou tanto que a pessoa (com certeza) vai desistir de continuar ligando. Até que você toma a decisão de levantar e atender. Mas é só pegar o telefone, que... a pessoa desliga.
Geralmente, a Fátima (minha assistente doméstica) é quem atende. Mas hoje ela deve ter ficado aborrecida de todas as manhãs eu estar dormindo, que ela largou para lá.
E não deu outra. Não havia mais ninguém na linha.
Alôoooo. No answer.

*********************************************
E olha que a Fátima adora atender telefone...
Ela ainda não tem um em casa e já deu pra perceber que ela fica enlouquecida para atender. É só o aparelho tocar, que ela corre a casa toda à sua procura. Às vezes estou ao lado do telefone e ela pergunta:
- Quer que eu atenda?
Sempre dou a vez para ela.

3 comentários:

Andréa N. disse...

Putz, eu fujo de telefone. Nunca atendo. Odeio falar ao telefone. Nao sei por que.

Finalmente tive uma chance de escrever sobre o meme que vc me mandou, Andrea. Depois da uma olhada la. Gostei muito de participar!

Abracos.

Leonardo Farroco disse...

A Lei de Murphy se manifesta em vários momentos da vida. Acredito que essa história do telefone seja um deles. :D

La Belle® disse...

Eu também fujo do telefone. Por ironia, tenho dois celulares mas normalmente quando toca, ou não ouço ou não posso atender [ e acabo retornando os recados na secretária].

Para mim a melhor invenção relacionada ao assunto é o identificador de chamadas. Evita perda de tempo, dá para fugir daquela criatura que não queremos dar papo, além de que, é melhor ainda quando ninguém sabe que temos em casa, e volta e meia fulaninho diz que te ligou e ninguém atendeu [quando vc sabe que nada estava registrado no aparelhinho - mas só vc sabe e pega fulaninho na mentira].